Instalando e configurando Debian 6

Recentemente formatei meu notebook e instalei o Debian 6 em uma tentativa de fugir de vez do Ubuntu e seus derivados como o Pear OS, tentativa de sucesso pois com poucos passos e sem nenhuma dor de cabeça obtive uma maquina estavel, rápida e com pouquissimo consumo de hardware.

Com o objetivo de compartilhar essa informação e os procedimentos feitos durante a configuração, resolvi criar esse tutorial demonstrando o passo a passo realizado. Como já existem inumeros tutoriais demonstrando a instalação do Debian 6, vamos pular essa parte e ir direto para a configuração. Mas para quem quiser conferir a instalação, ficam 3 ótimos tutoriais:

Site Viva o Linux: Instalação completa do Debian 6
Site Debian.org: Instalação e configuração do Debian
Pesquisa no Google por vídeos relacionados a instalação do Debian 6

Após a instalação vamos configura-lo:

1° – Passo: Vamos instalar um tema para nossa interface, não que o tema original seja ruim, mas se podemos melhora-lo, porque não? O tema escolhido foi o Equinox.

Para instala-lo vamos usar um recurso do Ubuntu importando a ppa para o Debian, para isso basta modificar o source.list com os comandos:

nano /etc/apt/source.list

Inclua as seguintes linhas no arquivo source.list:

deb http://ppa.launchpad.net/tiheum/equinox/ubuntu lucid main 
deb-src http://ppa.launchpad.net/tiheum/equinox/ubuntu lucid main

Salve o arquivo e no terminal digite para importar a chave publica para o ppa acima:  apt-key adv –keyserver keyserver.ubuntu.com –recv-keys 4631BBEA
Atualize a lista com o comando: apt-get update
E então baixe os pacotes do tema e dos icones com o comando: apt-get install gtk2-engines-equinox equinox-theme faenza-icon-theme

Feito isso, agora é so ir em:  Sistemas > Preferencia > Aparencia > Tema e escolher o novo tema instalado. Veja uma imagem da minha área de trabalho:

2° – Passo: Esse é um caso particular meu, talvez não se aplique a voce. Eu gosto da minha área de trabalho limpa por isso removi os ícones da lixeira, meu computador e pasta pessoal, para fazer isso basta fazer a combinação: Alt+F2 e digite gconf-editor. Navegue na arvore de diretorios do lado esquerdo da tela e vá pelo caminho:apps -> nautilus -> desktop e desmarque as opções:

  • Computer_icon;
  • Home_icon;
  • Network_icon;
  • Trash_icon;

3° – Passo: Por padrão o Debian vem com um navegador web chamado Iceweasel que é baseado no Firefox, embora seja um navegador estavel, parece não gerencia muito bem certas coisas, por isso vamos instalar a ultima versão do firefox. Para isso vá até o site da raposa e baixe a ultima versão do navegador.

Download do Firefox

Enquanto é feito o download vamos instalar uma ferramenta chamada Alien para converter o arquivo .tar.gz em um .deb para fazermos a instalação através do dpkg ou ainda pelo Gdebi package installer. No terminal digite: apt-get install alien

Com a ferramenta ja instalada e o firefox ja baixado acesse o diretorio onde o firefox se encontra e digite o seguinte comando para fazer a conversão do pacote:

alien /home/fernando/Downloads/firefox-17.0.tar.bz2 firefox.deb

Se todo o processo ocorrer bem ao final voce verá uma mensagem no terminal: “firefox_17.0_all.deb generated”. Agora é so instalar normalmente o .deb
Não esqueça de remover o navegador antigo: apt-get remove iceweasel

4° – Passo: Vamos instalar o flash player. Para isso abra o arquivo source.list. nano /etc/apt/source.list e inclua as seguinte linhas:

deb http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze main contrib non-free
deb-src http://ftp.br.debian.org/debian/ squeeze main contrib non-free

Feito isso, salve o arquivo e no terminal digite para atualizarmos as listas: apt-get update logo após isso digite: apt-get install flashplugin-nonfree
Pronto, verifique se o seu flash está funcionando.

Até aqui tudo ocorreu normalmente e sem problema algum, até o momento de testar som, vídeo e a rede wireless. Para minha surpresa os tres componentes nao funcionavam corretamente, uma ajuste daqui, um ajuste dali e nada, foi então que tentei fazer a troca do kernel para um mais recente, para isso realizei os passos abaixo:

Novamente editamos o arquivo source.list: nano  /etc/apt/source.list e inclua as seguinte linhas abaixo:

deb http://backports.debian.org/debian-backports squeeze-backports main

Salve o arquivo e atualize a fonte: apt-get update e execute o comando apt-cache search linux-image-3 para verificar os kernels disponiveis. Voce verá algo parecido com a imagem abaixo:

A imagem escolhida para meu caso foi a ultima. Para instalar:
apt-get -t squeeze-backports install linux-image-3.2.0-0.bpo.3-686-pae firmware-linux-free

Feito isso, voce precisa reiniciar a maquina para as alterações terem efeito e voce poder escolher o novo kernel. Digite: reboot

5° – Passo: Concluido com o passo quatro o som começou a funcionar, mas a interface wirelles e o vídeo ainda estavam parados. Para resolver esse problema verifiquei meu hardware através do comando lshw

Sobre a interface wirelles obtive o seguinte resultado:

   *-network UNCLAIMED
                description: Network controller
                product: RTL8191SEvA Wireless LAN Controller
                vendor: Realtek Semiconductor Co., Ltd.
                physical id: 0
                bus info: pci@0000:02:00.0
                version: 10
                width: 32 bits
                clock: 33MHz
                capabilities: pm msi pciexpress cap_list
                configuration: latency=0
                resources: ioport:3000(size=256) memory:93500000-93503fff

Sabendo que a interface é realtek e o modelo é RTL8191SEvA, bastou digitar o comando abaixo para instalar o novo firmware:

apt-get install firmware-realtek

Apartir desse momento a rede wireless funcionou perfeitamente.

6° – Passo: Para o sexto passo vamos resolver o problema do vídeo, utilizando o mesmo comando lshw obtive a seguinte informação sobre a interface de vídeo:

*-display:0
             description: VGA compatible controller
             product: Mobile 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller
             vendor: Intel Corporation
             physical id: 2
             bus info: pci@0000:00:02.0
             version: 07
             width: 64 bits
             clock: 33MHz
             capabilities: msi pm vga_controller bus_master cap_list rom
             configuration: driver=i915 latency=0

Então bastou digitar o comando: apt-get -t squeeze-backports install xserver-xorg-video-intel e tudo foi resolvido.

Todos esse procedimentos foram executados em um notebook HP-G42 com 2 Gb de memoria DDR3 e processador 2.3 DualCore de descrição:

description: Notebook
product: HP G42 Notebook PC
vendor: Hewlett-Packard
version: 049D110000202710000010000
width: 32 bits

description: Motherboard
vendor: Hewlett-Packard
physical id: 0
version: 77.18

description: BIOS
vendor: Hewlett-Packard
physical id: 0
version: F.16 (05/19/2010)

description: CPU
product: Pentium(R) Dual-Core CPU       T4500  @ 2.30GHz
vendor: Intel Corp.
physical id: 12
slot: CPU
size: 1200MHz
capacity: 2300MHz

description: VGA compatible controller
product: Mobile 4 Series Chipset Integrated Graphics Controller
vendor: Intel Corporation
physical id: 2
bus info: pci@0000:00:02.0
version: 07

description: Wireless interface
product: RTL8191SEvA Wireless LAN Controller
vendor: Realtek Semiconductor Co., Ltd.
physical id: 0
bus info: pci@0000:02:00.0
logical name: wlan0
version: 10

description: Ethernet interface
product: RTL8101E/RTL8102E PCI Express Fast Ethernet controller
vendor: Realtek Semiconductor Co., Ltd.
physical id: 0
bus info: pci@0000:03:00.0
logical name: eth0
version: 02

description: Wireless interface
product: RTL8191SEvA Wireless LAN Controller
vendor: Realtek Semiconductor Co., Ltd.
physical id: 0
bus info: pci@0000:02:00.0
logical name: wlan0
version: 10

No momento em que estou escrevendo tenho 5 abas do firefox abertas, skype e o player de música e o consumo de hardware é:

Finalizo esse tutorial dizendo um ADEUS PARA O UBUNTU e aguardando pelo DEBIAN 7 (Wheezy) que será lançada no inicio do próximo ano (2013).

por ferpinheiro Postado em Linux

Recuperar HD externo com a ferramente testdisk

Recentemente tive alguns problemas com um HD externo que comprei a pouco tempo. O tamanho total desse HD é de 250 GB os quais 130 deles eram ocupados pelos backups que havia feito dos computadores aqui de casa.

O que acontecia é que ele não era reconhecido tanto no Linux muito menos no Windows e sempre informava o seguinte erro: “Erro de montagem: montagem tem o código de saída 13: arquivo corrompido. Falha ao montar ‘/ dev/sdb1’: erros de entrada / saída NTFS é inconsistente, ou há uma falha de hardware

Para aumentar ainda mais meu desespero precisava muito de uns arquivo desse HD. Fui atras de alguma solução e acabei encontrando uma ferramenta que realmente resolveu meu problema e por isso mereceu um tutorial sobre ela. Essa ferramenta é a testdisk.

Para instalar a ferramenta digite em um terminal: apt-get install testdisk
Após isso rode o seguinte comando para listar os HDs existentes: testdisk /list

Voce deverá ver uma tela como essa:

Então digite o comando: testdisk e voce verá isso:

Selecione a opção Create e de enter. A proxima tela será:

Selecione o HD a ser recuperado. No meu caso foi o SAMSUNG HM251JI localizado em /dev/sdb. Logo após isso escolha a opção Proceed.

A tela a seguir será:

Escolha a opção: Intel Intel/PC partition, pressione enter e terá:

Selecione a opção: Advanced, logo verá:

Selecione a opção List e pressione enter.

Selecione o arquivo a ser copiado. Perceba as opções: a seleciona todos os arquivos e c copia os arquivos para o diretorio corrente. Nesse caso selecionei apenas o arquivo Livros_PDF precionando a opção c para copia-lo.

Agora escolhemos o diretorio a ser gravado os arquivos. A escolha foi BACKUP HD, e pressionamos enter.

Repare que a ferramenta inicia a copia dos arquivos. Agora é so esperar e ser feliz…

Mais informações podem ser encontradas em: http://www.howtoforge.com/data_recovery_with_testdisk

Fica um vídeo como exemplo: OBS: Baixe o volume antes, ficou muito alto!

por ferpinheiro Postado em Linux

Ubuntu 12.10 x Pearl OS 6

Olá caros leitores deste blog. Como muitos sabem, no dia 18 desse mês (outubro) foi lançada a nova versão do Ubuntu que está na 12.10, sem pensar duas vezes “corri” até o site oficial do ubuntu para fazer o download da nova distribuição.

Fiz o download e instalei em minha máquina afim de conseguir alguma melhoria com essa nova versão em relação a versão 12.04 a qual apresentava alguns bugs, mesmo após muitas atualizações. Com a versão já instalada iniciei uma bateria de testes para ver o comportamento do S.O

Sem dúvida nenhuma, posso dizer que foi a maior perda de tempo que tive nos ultimos anos com alguma distribuição Linux. Embora eu seja um usuário fiel do Ubuntu e goste muito do sistema, desta vez não tive condições de usá-lo.

 – Essa nova versão está com o tempo de boot mais rápido e bugs do Unit corrigidos.
– Porem o S.O está lento após todo o carregamento do sistema.
– Programas são lentos e demoram para abrir.
– A todo momento mensagens de erros são emitidas (Algo que é muito irritante).
– Em alguns momentos o sistema congelava sendo necessaria a reinicialização.

Não tendo outra alternativa e tambem não querendo voltar para o triste tempo do Ruwindows busquei alternativas para um S.O estável e com facilidade de uso. Em uma dessas buscas encontrei uma distribuição baseada no Ubuntu chamada Pear OS que está na versão 6 e foi lançada junto com a versão do Ubuntu. Claro que poderia ter ecolhido outras como Debian por exemplo, mas estava atrás de algo novo e diferente, por isso resolvi testa-la.

Embora não seja uma versão oficial do Linux o sistema é muito bom, estável e com uma facilidade de uso imensa além de ter um visual muito elegante e conter todas as funcionalidades de uma distribuição  Ubuntu.

Segue os links para quem tiver interesse em conferir:

http://pear.inglorious.ch/#
http://pearlinux.fr/?forwardie=1

Fica um vídeo de como ficou a minha máquina e como é o sistema.

Depois dessa, espero que o Ubuntu melhore…

por ferpinheiro Postado em Linux

Instalando servidor LAMP (Apache + PHP + MySql)

Olá !! No post de hoje vou mostrar como instalar um servidor LAMP no Ubuntu. Lembrando que a sigla LAMP significa: Linux + Apache + MySql + PHP. Essa é uma dica rápida para aqueles que precisam rodar e testar seus scripts em PHP ou até mesmo utilizar o banco de dados MySQL para alguma outra aplicação:

Existem diversas maneiras de você instalar um servidor LAMP, vou demonstrar duas formas diferentes:

1 Forma: Via terminal – Instalando em apenas uma linha
Abra um terminal, entre com sua senha de root:

Digite: sudo apt-get install apache2 mysql-server-5.1 php5 php5-mysql php5-cli -y

Durante o processo de instalação você deverá informar a senha de root para o MySQL, informe e deixe a instalação prosseguir normalmente. Após o termino da instalação voce deve testar para ver se tudo funciona corretamente, para isso digite no seu navegador: http://localhost então você verá uma pagina como essa:

Após isso acesse o diretorio /var/www/ e crie um arquivo chamado testePHP.php. Copie o conteúdo abaixo e cole no arquivo criado.

<?php phpinfo(); ?>

Salve o arquivo. Novamente digite em seu navegador: http://localhost/testePHP.php se tudo ocorreu bem você deverá ver uma tela como essa:

Se você chegou até aqui, então seu PHP e Apache ja estão funcionando, agora falta testarmos o MySQL. Em um terminal digite: mysql -u root -p
Logo após isso o MySQL perguntará a senha que foi informada durante a instalação, informe essa senha e então você verá isso:

Se chegou até aqui, Parabéns! Agora você possui um servidor LAMP instalado em sua maquina.

2 Forma: Através do Tasksel

O tasksel é um gestor de instalação de pacotes que auxilia para a instalação rápida e segura de vários pacotes para configuração de servidores. Vamos então a instalação do tasksel, em um terminal digite: sudo apt-get install tasksel

Depois de instalado o gestor, digite no terminal: tasksel e você verá uma tela assim:

Basta selecionar a opção LAMP server e então <Ok>

Existe ainda a possibilidade de instalação de servidor DNS, servidor de mensagens, impressão entre outros. Veja a imagem:

O processo de visualização das paginas de configuração é feito da mesma forma explicada acima na instalação via terminal!

Então é isso, dúvida, perguntas, criticas ou sugestões, são bem vindas…

Até a próxima.

por ferpinheiro Postado em Linux

Fazendo capturas de tela no Ubuntu com import

Olá a todos, essa dica é rápida, fácil e serve para todas as pessoas que precisam fazer capturas de tela em seu computador através da linha de comando. Mas antes vamos pensar: “Para que eu preciso de uma dica dessas se eu possuo a tecla “prt sc” (PrintScren) no meu teclado?”, Basta só pressiona-la e pronto, já tenho uma captura de tela!!!

Calma, eu explico o porque! Imagine que você precise monitorar o que seus familiares fazem no computador, ou melhor, você quer saber o que sua namorada ou namorado andam vendo na Internet. Se voce é uma dessas pessoas, então vale a pena você conferir essa dica… Veja aqui como fazer isso

Um outro motivo é que se você for um desenvolvedor de software para Linux você poderá usá-la em seus softwares para capturar a tela no momento exato (dentro de um try,catch) de um erro de software e mais tarde poderá verificar em que ponto o erro ocorreu! Legal né? Veja aqui como fazer isso.

Então vamos lá…. Usaremos um utilitário chamado import

Abra um terminal, entre com a senha root e digite: #apt-get install imagemagick
Espere a instalação terminar e então digite: #apt-get install graphicsmagick-imagemagick-compat

Pronto, já temos tudo que precisamos. Agora vamos fazer a nossa primeira captura de tela.
Para isso, ainda no terminal digite: #import -window root CapturadeTela.png


Se tudo ocorrer como o previsto, sua captura já encontra-se salva no diretório corrente. Repare que na imagem o diretorio é a Área de Trabalho. Esse é o comando básico para se fazer uma captura através da linha de comando usando o utilitário import.

Agora faremos uma captura de tela mas com um tamanho de imagem definido pelo usuário e com a extensão jpeg para isso basta digitar:
#import -window root -resize 640×480 CapturadeTela.jpeg

Agora ao invés de capturarmos toda a tela, iremos capturar apenas uma janela, para isso digite o comando: #import CapturadeTela.png
Repare que nesse momento a seta do seu mouse ficara em formato de uma cruz, basta clicar em cima da janela que se pretende capturar.

Para saber todas as opções desse utilitário, você pode acessar a man page através do comando: $man import. Então é isso aí… Fica a dica e espero que tenha alguma utilidade para vocês!

por ferpinheiro Postado em Linux

Fazendo uma “limpeza” no seu Ubuntu

Para quem utiliza ou já utilizou sistemas operacionais Windows, esta acostumado com algum software para limpeza e remoção de arquivos e chaves de registros desnecessárias, entre esses softwares estão: CCleaner, Registry Optimizer, Advanced Windows Care, entre muitos outros. No mundo Linux não é diferente, toda vez que instalamos algo em nosso sistema precisamos baixar pacotes, bibliotecas e arquivos de configuração que são necessários para a instalação de aplicativos. Muitas vezes esses pacotes se fazem necessários apenas no momento da instalação e após ela, ficam obsoletos e não são usado, ocupando espaço em disco e até mesmo na memoria.

Esse consumo pode gerar perda no desempenho da sua maquina por isso hoje irei falar de alguns utilitários que fazem uma certa LIMPEZA em nosso sistema. Iniciaremos falando do famoso APT-GET. Acesse um terminal e digite o seguinte comando: man apt-get será mostrada as opções de combinações disponíveis para essa ferramenta, entre elas estão:

#apt-get remove nome-do-pacote  = remove completamente o pacote mas mantém os arquivos de configuração. 

#apt-get –purge remove nome-do-pacote = remove completamente o pacote e os arquivos de configuração.

#apt-get autoclean = remove do cache (/var/cache/apt/archives) os arquivos .deb de programas que não estão mais instalados no sistema. (Tome cuidado com esse comando, pois caso, no futuro voce precise de algum desses pacotes terá de baixa-los novamente).

#apt-get clean =  removerá do cache (/var/cache/apt/archives) todos os arquivos .deb, mesmo de pacotes instalados. (Tome cuidado com esse comando, pois caso, no futuro você precise de algum desses pacotes terá de baixa-los novamente).

#apt-get autoremove = use esse comando após desinstalar algum aplicativo ele irá remover todos pacotes que não são mais necessários no sistema.

Existem outras alternativas para fazer a limpeza de pacotes, uma delas é usar o DEBORPHAN. Para utiliza-lo precisamos primeiro fazer a instalação, pois diferentemente do apt-get esse não vem como utilitário padrão. Para instala-lo basta digitar em um terminal:

apt-get install deborphan

Veja a imagem da instalação:

Para verificar os pacotes órfãos basta digitar: deborphan e então ele irá listar os pacotes órfãos. Caso exista algum pacote órfão, para remover basta digitar o comando: deborphan nome_do_pacote

Ou ainda, se forem vários pacotes você poderá digitar o comando: deborphan | xargs sudo apt-get -y remove –purge e então terá uma tela como essa:

Repare que o utilitário nos da a dica de usar o #apt-get autoremove

Para saber mais informações sobre opções de combinação basta digitar: deborphan –help

Existe ainda mais algumas informações que não foram listadas nessa imagem e que você pode conferir no seu terminal. E para encerrar o tutorial falarei sobre uma ferramenta que auxilia muito na limpeza principalmente para os iniciantes que ainda não se habituaram com a linha de comando, estou falando do aplicativo UbuntuTweak.

Você pode baixar esse aplicativo com a extensão .deb diretamente no site Baixaki ou então no site do desenvolvedor UbuntuTweak. Nos dois sites é possível encontrar informações suficientes sobre a instalação e utilização da ferramenta, por isso não falarei mais sobre ela. Abaixo pode ser visto duas imagens do utilitário:

Tela inicial do programa.

Tela com os pacotes a serem removidos:

Então é isso! Até a próxima…

por ferpinheiro Postado em Linux

Três softwares insdispensaveis para quem trabalha com eletrônica no Linux

Hoje vou falar sobre três softwares que são indispensáveis para quem trabalha com eletronica no Linux. Esses softwares são: Eagle, Fritzing e gResistor. Para quem  ja conhece algum desses vale a pena conhecer os outros!

Uma breve explicação sobre cada um deles:

Fritzing = É um aplicativo que serve para montar protótipos de circuitos elétricos. Possui grande facilidade de uso no estilo arrastar e encaixar componentes. O software é gratuito e pode ser instalado nas plataformas Windows, Linux e MacOS. Seu download pode ser feito Clicando AQUI

Eagle = É um aplicativo para desenhos de placas de circuito impresso (PCI ou PCB). O software possui uma versão gratuita para fins didáticos e esta disponível para as plataformas Windows, Linux e MacOS. Seu download pode ser feito Clicando AQUI.

gResistor = É um aplicativo simples que nos permite testar o valor de um resistor pelo seu código de cores. Muito útil para iniciantes em eletronica e que ainda precisam de uma tabela de cores e seus respectivos valores de resistência. O software encontra-se disponivel apenas para Linux. Seu download pode ser feito Clicando AQUI.

Vamos a instalação dos softwares no Ubuntu de versão 10.10.

Faça o download do Fritzing no link indicado acima, aṕos isso escolha um diretório para a extração da pasta. Para o exemplo irei deixa-la no desktop mesmo. Abrindo a pasta podemos ver os arquivos que compõem o software, nossa atenção ficará no arquivo Fritzing.sh.

Agora precisamos criar um atalho para poder executar o arquivo .sh para não precisarmos invoca-lo pela linha de comando. Para isso vá ate o Menu > Sistema > Preferências > Menu Principal e então escolha algum dos submenus para comportar o novo item. Nesse exemplo escolhi o submenu Eletronica.

Agora selecione o botão na parte superior direita Novo Item. Você deverá ver uma tela como essa:

Insira um nome para o aplicativo e então clique em navegar para selecionar o caminho do arquivo Fritzing.sh comentado no inicio da instalação.

Clique em abrir e então o novo item será adicionado no submenu que voce escolheu. Veja a figura abaixo:

Concluida essa parte, agora podemos acessar o software pelo menu e então abri-lo. Veremos a tela inicial assim:

Agora vamos fazer a instalação do software Eagle. A versão gratuita dele se encontra nos repositorios do Ubuntu e pode ser instalada atraves da central de software. Para isso acesse a central e procure pelo nome Eagle, voce verá uma tela como essa:

O nome do software aparece traduzido “Aguia” com o icone vermelho de uma aguia, clique em instalar. O software irá pedir sua autenticação como administrador do sistema, insira sua senha:

Após isso o software começara a ser instalado. Aguarde a instalação terminar e então acesse através do Menu > Eletronica > Eagle. Durante a abertura do aplicativo voce verá a seguinte tela:

Escolha a opção Run as Freeware. Logo após o software lhe informará que precisa de um diretorio para guardar seus projetos, voce terá duas opções informar um diretorio de sua escolha depois de inicializar o programa ou deixar o software criar um diretorio para voce, no inicio da execução, nesse exemplo deixaremos o software criar um no inicio da execução: Clique em Yes.

E então o software estara pronto para uso. Veja a tela abaixo:

E para concluir o post iremos instalar o gReistor. Isso poderá ser feito através da central de software também, como fizemos com o Eagle. Procure pelo nome, faça a autenticação e clique em instalar. Logo após a instalação o software poderá ser acessado através do Menu > Eletronica > gResistor. E então teremos a seguinte tela:

Agora o único trabalho que você terá é aprender a usa-los, mas acredite, isso é mais fácil do que seguir esse tutorial para a instalação, barbada né? Então bons estudos!! 🙂

por ferpinheiro Postado em Linux

Ouvindo músicas através do terminal no Ubuntu.

Esse é o terceiro post sobre o terminal Linux. Nele irei mostrar como é possível ouvir músicas através de um player chamado “mpg123“. Esse player é muito poderoso, proporcionando ao usuário as mesmas opções de um player com interface gráfica, ou seja, com ele você pode:

– Aumentar ou diminuir o volume.
– Avançar ou retroceder uma musica.
– Adicionar sua playlist completa.
– E ainda escolher o horário para tocar suas músicas favoritas.

Para saber mais sobre o player você poderá acessar diretamente do terminal a  “man page” através do comando: man mpg123 (Lembre-se que para isso o player deverá estar instalado).

Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

1° Passo

Instalando o player mpg123:
Para isso acesse o terminal e entre como root, logo após digite o comando: apt-get install mpg123

Confirme a instalação e aguarde a conclusão.

2° Passo

Executando uma música:
No terminal acesse a pasta onde estão suas musicas e digite o comando: mpg123 Nome_da_sua_musica.mp3
Feito isso sua música já estará tocando.

Veja o vídeo de exemplo abaixo:

No próximo post vou demonstrar como é fácil baixar arquivos através do terminal. Aguarde…

por ferpinheiro Postado em Linux

Acessando páginas da web através do terminal no Ubuntu.

Seguindo os posts sobre o terminal do Linux, vou demonstrar como acessar páginas da web usando o terminal. Para isso precisamos de um navegador que rode em modo texto. Existem alguns navegadores disponiveis na web mas para esse post eu usarei um em especial chamado “lynx” que é uma ótima opção para esse caso. Vale ressaltar que esse é um navegador que exibe apenas texto, isso mesmo, apenas texto pois o mesmo não interpreta as tags html e demais firulas que navegadores como Firefox, IE, Chrome fazem. Então alguem diz: “Haaaa que pena tio, eu queria ver as imagens !!!!”

Lembre-se e acostume-se: Você esta usando o terminal, tudo a sua frente é somente texto, texto e mais texto…

Vamos instala-lo:

1° Passo:

Acesse o terminal e entre como root. Após isso digite o comando: apt-get install lynx
Confirme a instalação e aguarde a conclusão.

2° Passo

Acessando uma página.
Para acessar qualquer página digite no terminal: lynx http://www.pagina_que_se_quer_acessar.com.br

Se tudo ocorrer normalmente você deverá ver a página escolhida. Veja o vídeo de exemplo abaixo:


Essa é mais uma dica útil quando não contamos com uma interface gráfica instalada. No próximo post vou demonstrar como ouvir música através do terminal. Aguardem…

por ferpinheiro Postado em Linux

Assistindo vídeos pelo terminal no Ubuntu

Bem, após longos dias de estudo para as provas do final de semestre finalmente estou em férias (por poucos dias) por isso hoje, resolvi postar algo interessante para aqueles que duvidam do poder do terminal em um sistema LINUX. A dica é simples mas muito útil quando não se pode ter uma interface gráfica instalada. O que vou mostrar hoje é o primeiro de uma serie de post sobre o terminal e formas de usá-lo para coisas do dia a dia como acessar a internet, msn, ouvir musica e muito mais.

Pois bem, vamos ao que interessa:

1° Passo:

Devemos instalar um player de vídeo que de suporte para execução através do terminal, existem varios que fazem isso mas nesse caso vamos utilizar o “mplayer”. Acesse o terminal e entre como root, logo após digite:

apt-get install mplayer

Voce verá uma tela como essa:

Confirme com a opção “s” e então a instalação será iniciada, serão instalados além dos pacotes do player outros pacotes adicionais.

2° Passo:

Depois do player instalado vamos assistir um vídeo. Para isso ainda no terminal digite:

mplayer -vo caca NomedoseuVideo.avi

É eu sei, o comando é um pouco estranho, mas é assim mesmo!
Lembre-se de trocar NomedoseuVideo.avi para o nome do seu video mais a extensão. Então você verá uma tela como essa:

Nesse momento é aberto um novo terminal e seu vídeo irá rodar em formato ASCII. Veja um exemplo abaixo:

Para sair do terminal onde esta sendo executado o vídeo  basta pressionar ESC.

No próximo post mostrarei como acessar paginas da web através do terminal! Aguardem.

por ferpinheiro Postado em Linux